CPF/Apelido: senha:
Notícias

Câmara Municipal cassa prefeito de Januária (MG) - 08/04/2008
João Ferreira Lima não é mais prefeito de Januária, cidade de 63,5 mil habitantes, no Norte de Minas, a 603 Km de Belo Horizonte. Terminou às 4:30 da madrugada do dia (03) a sessão extraordinária convocada pela Câmara Municipal para deliberar sobre o relatório de comissão processante criada para apurar a prática de duas infrações político-administrativas de que Lima foi acusado: deixar de prestar contas e de atender aos requerimentos de informações do Poder Legislativo.

Por 7 votos a zero, os vereadores inocentaram Lima da primeira acusação, porque durante o curso do processo ele acabou enviando as prestações de contas referentes a 2004 e 2005 à Câmara Municipal. Mas o prefeito não conseguiu escapar da segunda acusação e a denuncia foi julgada procedente.

Participaram da sessão, que durou vinte horas e meia, os vereadores Cabo Simão, Zezé da Copasa, Weber Abreu, Weber Oliveira, Nego Viana e Geraldo do Brejo e Tonheira. Três vereadores cederam à pressão de João Lima e não compareceram à reunião: Dão Bucho, Silas Lourenço Marques (PT) e o filho do prefeito, Joãozinho Lima.

Na tentativa de provocar o adiamento da sessão e fazer com que fosse ultrapassado o prazo de 90 dias em que os trabalhos da comissão processante têm de ser concluídos, Lima não compareceu à sessão e nem mandou advogado. Sua defesa foi realizada pelo advogado Wilson Gonzaga Neto, nomeado à última hora como defensor dativo. A Câmara de Januária teve dificuldades para encontrar advogado que aceitasse o encargo de defender o político tucano. Ninguém queria fazer sua defesa.

Lima estava afastado do cargo desde 20 de abril de 2007, por ordem do juiz da 2ª Vara da Comarca de Januária, Geraldo Andersen, em processo que apura seu envolvimento com a máfia das sanguessugas. Ele estava exercendo o mandato pela quinta vez. Com a cassação ele perde o subsídio de R$ 10 mil por mês que vinha recebendo, mesmo afastado do cargo. Hoje à noite a Câmara dará posse ao sucesso de João Lima, o vice-prefeito Sílvio Aguiar, que vinha exercendo o cargo interinamente.

Januária é campeã brasileira de rotatividade de prefeitos. Está no sexto mandatário desde 2004. E o ranking parece que não vai parar por ai. Sílvio Aguiar já assume o cargo tendo contra si uma comissão processante em andamento. Ele é acusado de tentar desviar, em dezembro, R$ 1.190,00 da saúde para dar de presente a uma de suas amantes, que trabalha no único hospital da cidade. Aguiar já foi notificado e tem 10 dias para apresentar defesa prévia.


Fonte: Asajan

UNASUS - União Nacional dos Auditores do SUS
www.unasus.org.br