CPF/Apelido: senha:
Notícias

Ampliado, relatório do Denasus sobre a AHB está quase pronto - 11/10/2010
Técnicos do Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde (Denasus) devem concluir, em breve, um novo relatório referente à ampliação das apurações sobre os procedimentos cobrados da União pelo departamento de bucomaxilo da Associação Hospitalar de Bauru (AHB). O trabalho inicial, divulgado em agosto, teria auditado menos de 5% dos atendimentos do setor, o que foi considerado insuficiente pelo Ministério Público Federal e pela Polícia Federal de Bauru, que solicitaram o aprofundamento dos levantamentos.

Com a sugestão acatada pelo órgão em Brasília, o universo de documentos estudados e pacientes ouvidos foi aumentado consideravelmente, mas ainda em sistema de amostragem, segundo o delegado Pedro Luís Novaes, da Polícia Federal. “O relatório preliminar já tinha apontado algumas irregularidades no faturamento dos procedimentos e esse novo laudo chegará para esclarecer a extensão do problema. Acredito que ele deverá aumentar as provas contra os acusados”, analisa ele, sem saber informar quantas pessoas foram ouvidas ou o prazo para conclusão deste novo trabalho desenvolvido pela equipe do Denasus.


Assim que o relatório for divulgado, o procurador da República Pedro de Oliveira Machado deverá avaliar os resultados para decidir qual medida judicial poderá ser tomada. “Insistimos nesse pedido de ampliação da auditoria para chegar o mais próximo possível do real valor da fraude. Esse montante cobrado indevidamente terá de ser devolvido”, pontua. Assim que for concluído, o relatório do Denasus também será enviado à AHB para que a entidade se manifeste.

A auditoria faz parte das investigações da Operação Odontoma, que completará um ano no próximo dia 29 e tem por objetivo apurar irregularidades envolvendo a antiga diretoria da AHB. Entre os objetos de investigação da operação estão a destinação de R$ 16 milhões obtidos em empréstimo junto à Caixa Econômica Federal (CEF); a origem de honorários pagos aos cirurgiões dentistas da equipe de bucomaxilo; a aquisição de insumos, equipamentos e medicamentos e a compra e utilização de materiais cirúrgicos na AHB.

O foco no bucomaxilo foi definido antes da primeira visita dos técnicos do Denasus na cidade, o que aconteceu em meados de abril. Trabalhava no setor o dentista Marcelo Saab, filho do ex-presidente da associação, Joseph Georges Saab, acusado de receber supersalários. O dentista, inclusive, reivindica mais de R$ 450 mil da associação gerida pelo próprio pai até a Operação Odontoma.

Fonte: JCNET

UNASUS - União Nacional dos Auditores do SUS
www.unasus.org.br