CPF/Apelido: senha:
Notícias

CGU aponta irregularidades em seis hospitais federais do Rio - 23/09/2011
No Rio de Janeiro, foi descoberta uma série de licitações fraudulentas, superfaturamentos e irregularidades nos gastos de seis hospitais federais. É o que aponta um relatório da Controladoria Geral da União.

A auditoria investigou contratos de prestação de serviços em seis hospitais federais e encontrou, segundo a Controladoria Geral da União (CGU), uma lista de irregularidades que podem ter dado um prejuízo de mais de R$ 16 milhões aos cofres públicos, a começar pelas licitações.

No Hospital de Bonsucesso, a suspeita é que o processo tenha sido dirigido. A escolha da empresa de limpeza exigia dos concorrentes registro no Conselho de Psicologia. No Andaraí, a empresa responsável pelo serviço de vigilância foi contratada sem licitação por quase o dobro do preço do contrato anterior.

O Hospital da Lagoa pagou até pela limpeza de uma área que estava fechada para obras. No Hospital de Ipanema, o valor de um mês de aluguel de equipamentos de segurança daria para comprar todos os aparelhos da sala de monitoramento.

Até na compra da comida dos pacientes há indícios de fraudes. O Hospital dos Servidores pagou pelas refeições até cinco vezes mais do que o preço da tabela de referência do mercado.

No Hospital Federal Cardoso Fontes, o crime pode estar na lavanderia. Os registros de pesagem da roupa que saia e voltava ao hospital não batem. A roupa limpa, pela qual a empresa cobrava, sempre pesa a mais.

A investigação dos contratos pela GCU começou em abril. A auditoria foi um pedido do próprio Ministério da Saúde, que encontrou uma grande variação de preços nos serviços prestados a esses hospitais federais.

“O ministério vai ser intolerante com tudo aquilo que se evidencie com o desperdício de recursos públicos e que também comprometa o bom atendimento à população. A lei 8.112 tem penalidade de suspensão e até demissão”, afirmou Adalberto Fulgêncio, representante do departamento de auditoria do Ministério da Saúde.

Fonte: G1

UNASUS - União Nacional dos Auditores do SUS
www.unasus.org.br