CPF/Apelido: senha:
Notícias

Ministro promete R$ 100 mi e habilita UPA Sul, mas se cala sobre novo pronto-socorro - Olhar Direto - 25/01/2017
A notícia mais aguardada pelos cerca de 30 prefeitos que se reuniram com autoridades, no Conselho Regional de Medicina (CRM), em Cuiabá, foi anunciada pelo ministro da Saúde, deputado Ricardo Barros (PP), já no final da reunião: a liberação dos cerca de R$ 100 milhões em emendas parlamentares. Desse total, R$ 76,6 milhões já estão liberados, sendo a maior parte empenhados e pagos, o que é quase um ato de heroísmo, em tempos de vacas magras, no governo federal.

“Vamos honrar as emendas parlamentares destinadas à saúde, na íntegra, o que demonstra que podemos melhorar a saúde do povo mato-grossensse”, argumentou Barros. Pouco antes, tinha visitado as obras do novo Hospital e Pronto Socorro de Cuiabá, o Hospital Universitário Júlio Müller, a UPA Ipase – em Várzea Grande, e o atual Pronto Socorro Municipal.
A notícia mais aguardada pelos cerca de 30 prefeitos que se reuniram com autoridades, no Conselho Regional de Medicina (CRM), em Cuiabá, foi anunciada pelo ministro da Saúde, deputado Ricardo Barros (PP), já no final da reunião: a liberação dos cerca de R$ 100 milhões em emendas parlamentares. Desse total, R$ 76,6 milhões já estão liberados, sendo a maior parte empenhados e pagos, o que é quase um ato de heroísmo, em tempos de vacas magras, no governo federal.

“Vamos honrar as emendas parlamentares destinadas à saúde, na íntegra, o que demonstra que podemos melhorar a saúde do povo mato-grossensse”, argumentou Barros. Pouco antes, tinha visitado as obras do novo Hospital e Pronto Socorro de Cuiabá, o Hospital Universitário Júlio Müller, a UPA Ipase – em Várzea Grande, e o atual Pronto Socorro Municipal.
O ministro fez as visitas em companhia do governador José Pedro Taques (PSDB) e dos prefeitos Emanuel Pinheiro (PMDB), de Cuiabá, e Lucimar Sacre de Campos (DEM), de Várzea Grande, além dos senadores Wellingon Fagundes e Cidinho Santos, e outros parlamentares.

Já secretário de Estado de Saúde, João Batista Pereira, convocou os prefeitos para que estreitem a parceria com o governo de Mato Grosso, mas não deu a notícia mais esperada: a data de atualização dos repasses e das tabelas dos serviços. “Enfrentamos problemas financeiros e orçamentários, então, temos de unir forças. Mato Grosso vai informatizar todos os procedimentos e a melhoria do atendimento irá chegar à ponta”, definiu João Batista.

Em princípio, o Ministério da Saúde projetava liberar no máximo R$ 50 milhões, por causa do aperto fiscal. “Mas com a otimização dos gastos públicos, o Ministério da Saúde conseguiu liberar R$ 76,6 milhões ao estado do Mato Grosso”, definiu Ricardo Barros.

São recursos das emendas parlamentares e investimentos do Governo Federal destinados ao custeio de 57 serviços e leitos que estão em funcionamento e não contavam com contrapartida ou qualificação da pasta no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Ele lembrou que foi prefeito de Maringá (PR) e sabe onde o “calo aperta”, na administração da saúde municipal.

Ao todo, são 57 serviços distribuídos em 24 municípios que estão sendo contemplados pela iniciativa. Prioridade do ministro Ricardo Barros nos primeiros 200 dias à frente da pasta, a otimização de gastos alcançou uma eficiência econômica total no país de R$ 1,9 bilhão, possibilitando aumentar a assistência à população no âmbito da rede pública de saúde.

Dos R$ 76,6 milhões liberados para o Mato Grosso, R$ 8,7 milhões beneficiam serviços como leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e SAMU, voltados para os atendimentos de urgência e emergência, e custeio de serviços hospitalares e ambulatoriais voltados à assistência especializada, incluindo os atendimentos de média e alta complexidade. Os R$ 68 milhões também liberados são referentes a emendas parlamentares. Além disso, também está sendo liberado custeio anual para a UPA do município de Várzea Grande, no valor de R$ 3,9 milhões.

Além destes recursos, a pasta também está destinando mais R$ 83,5 milhões em empenhos para a construção, reforma e/ou ampliação de 22 Academias da Saúde, um Centro de Atenção Psicossocial (CAPs), 166 Unidades Básicas de Saúde (Requalifica UBS), uma obra para a Estratégia Rede Cegonha (ambiência e Centro de Parto Normal), uma Unidade de Acolhimento, 14 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e três Centro Especializado em Reabilitação (CER). Deste total, a pasta já pagou R$ 76,5 milhões.

SAMU – O Ministério da Saúde também está doando quatro ambulâncias para renovar a frota do SAMU 192 em quatro municípios: Campo Verde, Jaciara, Juína e Rondonópolis. Atualmente, o estado do Mato Grosso possui 31 ambulâncias em funcionamento, com custeio federal de R$ 13,8 milhões. Em Cuiabá, são cinco ambulâncias em funcionamento, representando investimento federal na ordem de R$ 3,5 milhões por ano.

Em todo o Brasil, são 340 novas ambulâncias, representando investimento de R$ 67,6 milhões. A renovação da frota leva em consideração o critério de tempo de uso (cinco anos de habilitação, com veículo em funcionamento e sem renovação). Os veículos doados estarão vistoriados e disponíveis para retirada na empresa, em Cajamar/SP, até o dia 17 de fevereiro de 2017.

Novo PSM de Cuiabá – Na capital mato grossense, o ministro também visita as instalações do Hospital e pronto Socorro Municipal de Cuiabá. O Hospital, que é 100% SUS, registrou em 2016, 14.738 autorizações de internação e 138.341 procedimentos ambulatoriais, no valor de R$ 46,9 milhões.

O Hospital realiza atendimento à população nas seguintes especialidades: pediatria, neurologia, pneumologia, oncologia, odontologia, entre outros. O Hospital possui 323 leitos SUS. Possui também, uma equipe de 256 médicos e 529 profissionais de outras áreas, todos SUS.

UPA Várzea Grande - O ministro da Saúde também visita a Unidade de Pronto Atendimento (24 horas) de Várzea Grande em Cuiabá. A UPA recebe R$ 3,9 milhões em custeio e teve sua construção financiada pela pasta, no valor de R$ 2,6 milhões. O Ministério da Saúde também investiu R$ 778 mil para a compra de equipamentos da unidade.

O município de Várzea Grande possui mais uma UPA, de porte I, que está em construção no bairro Hélio Ponce de Arruda. O Ministério da Saúde enviou, entre 2015 e 2016, R$ 1 milhão para compra de equipamentos desta unidades e repassou R$ 2,2 milhões para construção.

Atual PSM – Ainda em Cuiabá, o ministro visitou o canteiro de obras do novo Hospital Pronto Socorro de Cuiabá. A construção está com 30% de execução e tem previsão de entrega para dezembro de 2017. Quando pronto, a unidade, com 309 leitos SUS, será referência estadual de alta complexidade para traumatologia, e nas áreas de cardiologia, neurologia e ortopedia.

Hospital Júlio Müller – Para encerrar a agenda de visitas, Ricardo Barros conheceu as obras do Hospital Júlio Müller. A unidade contará com quatro blocos ligados entre si, contendo Apoio Assistencial, Tratamento Intensivo, Serviços, Administração, Nutrição, Auditório e Torre de Internação. Além disso, também terá 331 leitos, sendo 63 para UTI, 73 consultórios e nove salas cirúrgicas.

UNASUS - União Nacional dos Auditores do SUS
www.unasus.org.br